PARTILHAR

Resumo
Os profissionais que trabalham em lavandarias estão sujeitos a vários fatores de risco ocupacionais, nomeadamente exposição aos agentes químicos, fibras têxteis, desconforto térmico, ruído, vibrações, manuseamento de cargas, postura mantidas e movimentos repetitivos. Pretendeu-se com esta revisão sumária conhecer os dados mais relevantes e atualizados associados aos principais riscos laborais existentes para este setor.
Foi realizada uma pesquisa em julho de 2014 nas bases de dados “CINALH plus with full text, Medline with full text, Database of Abstracts of Reviews of Effects, Cochrane Central Register of Controlled Trials, Cochrane Database of Systematic Reviews, Cochrane Methodology Register, Nursing and Allied Health Collection: comprehensive, MedicLatina e Academic Search Complete”. Utilizando as expressões-chave “dry cleaning” e “laundry” associada a “occupational risks” e “health risks” foram obtidos 27, 1 e 5 artigos, respetivamente, com os critérios publicação igual ou superior a 2002 e acesso a texto completo. Em função da língua original (portuguesa, inglesa ou espanhola) e da pertinência para o objetivo desta revisão, foram selecionados 18, 0 e 0 artigos, respetivamente, dos quais se utilizaram 17.
Os dois principais agentes utilizados são cancerígenos em animais mas, em humanos, pelas dificuldades éticas óbvias de investigação e complexidade de variáveis, os estudos apresentam conclusões divergentes; alguns autores mencionam também, ainda que com menor destaque, eventuais alterações neurológicas, renais, hepáticas, hematológicas, imunológicas e/ou reprodutivas.
Os profissionais inseridos nas equipas de Saúde Ocupacional que se dedicam a este ramo deverão estar informados sobre os dados mais atuais, sendo também muito pertinente que se faça investigação na área, até para melhor caraterizar a realidade nacional e sensibilizar os respetivos funcionários.

Introdução
Os profissionais que trabalham em lavandarias estão sujeitos a vários fatores de risco/riscos ocupacionais, nomeadamente a exposição aos agentes químicos, fibras têxteis, mobilização de cargas, ruído e vibrações (ainda que por tempos curtos); no ato de “passar a ferro” podemos também destacar a postura de pé estática mantida, movimentos repetitivos com o membro superior dominante e a temperatura elevada (quer no sentido de ocasionar uma queimadura, quer pelo desconforto térmico global, eventualmente criado); se o indivíduo se dedicar especialmente ao atendimento ao público, há que acrescentar os fatores de risco associados ao computador (como esforço visual, radiações eletromagnéticas, posturas mantidas e, em função da intensidade e ritmo, movimentos repetitivos no rato e teclado). Contudo, realizando uma pesquisa em bases de dados científicas (cuja caraterização pode ser consultada na secção de metodologia) apenas surgiram artigos associados ao risco químico, sem exceção.

Metodologia
Foi realizada uma pesquisa em julho de 2014 nas bases de dados “CINALH plus with full text, Medline with full text, Database of Abstracts of Reviews of Effects, Cochrane Central Register of Controlled Trials, Cochrane Database of Systematic Reviews, Cochrane Methodology Register, Nursing and Allied Health Collection: comprehensive, MedicLatina e Academic Search Complete”. Utilizando as expressões-chave “dry cleaning” e “laundry” associada a “occupational risks” e “health risks” foram obtidos 27, 1 e 5 artigos, respetivamente, com os critérios publicação igual ou superior a 2002 e acesso a texto completo. Em função da língua original (portuguesa, inglesa ou espanhola) e da pertinência para o objetivo desta revisão, foram selecionados 18, 0 e 0 artigos, respetivamente, dos quais se utilizaram 17.

Para continuar a ler, faça já a sua assinatura.

assinatura

3 COMENTÁRIOS

DEIXE UM COMENTÁRIO