PARTILHAR

Trata-se de uma nova abordagem de aprendizagem criativa: os alunos utilizam protetores auditivos Peltor Kids da 3M, doados pela empresa para as aulas, de forma a reduzir o ruído ambiente, o que permite aos alunos focarem-se num programa de tarefas personalizado de acordo com o nível de cada um.
A contaminação acústica afeta o desenvolvimento cognitivo das crianças e pode contribuir para o fracasso escolar.
Espanha é o segundo país mais ruidoso do mundo atrás do Japão.
Madrid, 14 de setembro de 2016. Com o regresso às aulas, esta semana, regressam as risadas e os reencontros, mas também as vozes, os gritos, o tráfego e inúmeros ruídos quotidianos, que envolvem a rotina dos mais pequenos e que podem representar um problema de saúde e até mesmo contribuir para o fracasso escolar.
Espanha é o segundo país mais ruidoso do mundo, atrás do Japão. A OMS (Organização Mundial de Saúde) adverte que a contaminação acústica enerva os mais pequenos, mais vulneráveis que os adultos face aos efeitos nocivos do ruído. A exposição das crianças ao ruído pode causar afonia, dores de cabeça, irritabilidade, assim como criar dificuldades de linguagem, tanto a nível da sua perceção como a nível da oratória, alterações de sono, problemas de sociabilidade e outras ameaças ao desenvolvimento cognitivo infantil, segundo diversos estudos da National Academy of Science Report.
Na Suiza, alguns professores da primária estão imersos numa nova abordagem de aprendizagem criativa. As crianças pequenas têm um ouvido muito sensível e muito pouca proteção contra o ruído prejudicial. Por isso, utilizam protetores auditivos Peltor Kids da 3M, doados pela empresa para as aulas, de forma a reduzir o ruído ambiente, o que permite aos alunos focarem-se num programa de tarefas personalizado de acordo com o nível de cada um.

Para continuar a ler, faça já a sua assinatura.

assinatura

DEIXE UM COMENTÁRIO