PARTILHAR

A morte de Paul Williamson foi um acidente evitável, escreve o Técnico Oficial de Segurança da IPAF, Rupert Douglas-Jones
Pai de três filhos, Paul Williamson, morreu a 29 de janeiro de 2014, a Plataforma Elevatória Móvel de Trabalho (PEMT) que ele carregava para um veículo de transporte caiu das rampas esmagando-o instantaneamente. A PEMT de tipo articulada só esteve em operação oito dias quando tombou das rampas que foram posicionadas num declive acima da especificação do fabricante.
O mais triste deste caso é o fato de os tribunais terem identificado que a morte de Paul era totalmente evitável se tivessem sido postos em prática as avaliações de risco e os sistemas de segurança corretos e se Paul tivesse recebido formação adequada.
A tragédia desencadeou investigações que terminaram recentemente em Thorn Warehousing, a empresa para a qual Paul trabalhou, sendo multada em £ 166.000 e £ 10.400 de despesas pelo Health and Safety Executive (HSE). Simultaneamente, ao gerente de Thorn Warehousing, Kenneth Thelwall, foi sentenciada uma pena de prisão de 12 meses, £ 4.000 de despesas e desqualificação como gerente da empresa por sete anos. A sua empresa está agora entregue à administração.

Oportunidades Perdidas
Houve várias oportunidades para evitar o acidente que matou Paul, além das Leis inequívocas para proteger os trabalhadores. Existe uma clara obrigação legal para formar os trabalhadores, abrangendo todo o tipo de equipamento, que neste caso incluiria as rampas, o camião e a PEMT. Por outro lado, os empregadores devem assegurar que o equipamento é adequado à tarefa assignada, com a devida manutenção, em perfeito estado e condição de eficiência. Existe ainda o dever de o empregador fazer uma correta avaliação de riscos para os trabalhadores e todo o tipo de pessoal envolvido no trabalho.

Para continuar a ler, faça já a sua assinatura.

assinatura

DEIXE UM COMENTÁRIO